All posts in 0-06meses

6 meses

Estes últimos meses têm sido avassaladores e maravilhosos.
O tempo voa e o João cresce a uma velocidade vertiginosa.

Com 6 meses o pequeno astronauta, já agüenta a cabeça, já fica sentado sem apoio, já se entedia de estar numa mesma posição mais de 2 minutos, agarra os brinquedos facilmente e revela um interesse crescente observando com curiosidade tudo o que o rodeia, já tem 2 dentinhos e começou a comer sólidos.

A primeira papinha do João foi uma bagunça imensa, ele até que gostou da maça… mas preferiu a colher.

Acompanhar essa evolução é mágico.
Por um lado desfruto muito e por outro… me da um pouco de nostalgia, talvez porque demonstra que o pequeno algum dia deixará de ser o bebe da mamãe para ser uma pessoinha independente… e quer saber? Ja estou com saudades…

Caribe

O João com 5 meses.

Passaporte carimbado e a primeira viagem transoceânica, rumo ao Caribe…


“.. as coisas lindas tão mais lindas… quando o João está..
porque o João está… hoje o João está, nas coisas tão mais lindas…”




Manhoso…

Filhote estava diferente… muito mais manhoso… tava contente… mas, queria mamar toda hora, ficar no colo, e as vezes ficava de denguinho, pensávamos que era por tantas novidades: viagem longa, fuso horário, mudança de inverno-verão em questão de horas… e não demos importância…

Até que “eles” apareceram…

Um centro avante, seguido de outro… impedidos na grande área:

…os dentinhos caribeños do João.

Super Papa

Foi com o papai que o João deu a primeira gargalhada… a 1ª de muitas que virão.

O João tem um pai movido a musica, que sempre esta cantarolando alguma coisa, um pai que ensinou o filhote a gostar de pandeiro e a fazer batucada desde quando ele ainda estava na barriga.

Um pai que freqüentou curso de parto, convenceu a mãe que o melhor era parir em casa, e que viveu junto e intensamente o nascimento da cria.

Um papai que registrou com um click, quase todas essas fotografias bonitas que tem aqui no blog.

Um cara divertido, um meninão, um super herói com poderes de tornar as coisas mais leves e divertidas.

Mais que um pai ele vai ser o irmão maior, um companheiro, vai brincar com os brinquedos do filho, rolar no chão, ensinar a esquiar, a surfar, a ser musico, a andar de bicicleta, a caçar “bolets” e muitas outras coisas mais.

Um pai que as vezes perde a paciência e a mamãe perde a paciência com o pai por perder a paciência…Mas por favor um pouco de paciência, né? Afinal a gente ta aprendendo…

As amigas da mamãe chamam o papai de “super papa”,
eu sempre digo que não é bem assim… e muitas vezes reclamo um montão com o papai… mas no fundo…
estou orgulhosa de ter escolhido para o João o melhor pai que ele podia ter.

Volta ao trabalho

Quando estava grávida tinha 3 empregos.
No nº 1 trabalhava de segunda a sexta, de 9 as 19hs.
No nº 2 eu passava algumas horas 2 x por semana, geralmente quando saía do nº 1, ou algum dia do fim de semana.
No 3º eu trabalhava as vezes no trabalho nº 1 e outras quando dava.
Eu sabia que quando o João nascesse eu teria que diminuir horas de trabalho, mas ainda não sabia como.

Então a “vida” decidiu por mim, a empresa do nº 1 não renovou meu contrato e com 8 meses de grávida eles me disseram: adios y buena suerte!
Foram dias duros, fiquei meio depre, pensei em colocar na justiça, contratar advogado… mas não queria energia negativa pro meu bebe e decidi não fazer nada e relaxar.

Foi difícil… mas quando foi passando o tempo vi que foi o melhor que podia ter acontecido.
E agora… não consigo imaginar como seria voltar a trabalhar e deixar o filhote na creche todo o dia.

Mas… como uma mulher prevenida vale por duas… ficou o emprego nº 2, que a partir de agora será o único.

Esse mês volto a trabalhar, algumas horas 1 x por semana.

E a verdade é que estou muito contente e animada pra “volta ao trabalho”, pela 1ª vez desde que o João nasceu vou sair de casa sozinha, sem empurrar o carrinho, sem ele na mochila e nem no sling.

Livre leve e solta!!!

O João ficará com “la Iaia” (a vovó catalana).
A partir deste mês as terças-feiras serão o dia de “la Iaia”.

E como vocês podem comprovar….

Olha a cara de quem esta preocupado…

O Vovô e a mechinha


Gente… por favor…

Olha aí meu filho com cara de conquistador….

Com essa mechinha tão charmosa. Igual ao vovô!!!

Ei Vovô prepara o mocotó que no final do ano a gente taí pra você conhecer teu netinho.

Te amamos!! Beijo.

Benvingut l´avi

Hoje é o aniversário de L´avi (vovô catalão) e queria aproveitar para mandar um beijo grande e dar boa vinda pra ele aqui no blog.
Quando o João nasceu ele fez um CD muito lindo recopilatorio de canções de ninar brasileiras como lembrança do nascimento do João e vira e mexe tem algum amigo que comenta que sempre escuta o CD e adora… Aqui em casa é nº 1.

As musicas são lindas e a dedicatória muito especial (como ele).

BENVINGUT JOÃO
El més encisador de les cançons de bressol és que les hem escoltat I cantat sempre I ho continuarem fent, no tant sols per ajudar a dormir els nostres fills sinó també per crear vincles afectius molt estrets entre ells, nosaltres I la musica.
Aleix Avi




BEM-VINDO JOÃO
O mais encantador das canções de ninar é que as escutamos e cantamos sempre, e sempre o faremos. Não só para ajudar a dormir nossos filhos mas também para criar vínculos afetivos muito estreitos entre eles, nós e a musica.
Aleix Vovô

A hora da mamãe e do João

Comecei a sentir necessidade de buscar uma atividade pra fazer com o João e me inscrevi num curso de massagem para bebes (Shantala).

A medida que ia colocando em pratica o curso, fui percebendo a necessidade que os bebes tem de uma rotina pré-sono.

Então… ficou estabelecido a hora da mamãe e do João…

Um pouco antes da “hora crítica” (as 19:30) começamos o ritual:
Aumento um pouco a calefação, diminuo luzes, coloco musiquinha suave, colchoneta no chão e a massagem.

Dizem que a Shantala favorece o desenvolvimento físico e emocional do bebe, que estimula os sistemas nervoso, digestivo (aliviando as cólicas), circulatório e respiratório do pequeno, provoca um aumento da auto-estima e consequentemente da imunidade. Que um bebe massageado é mais seguro, chora menos e desenvolve aptidões para a expressão corporal…

Se tudo isso é certo… não sabemos… o que eu posso afirmar é que desde que começamos a rotina zen , o João dorme melhor, já não existe a hora critica e eu desfruto desse momento mágico de conexão total com o pequeno.

Depois da massagem o papai da um banho gostoso, coloca o pijama e mamar (essa é a parte preferida do João).

Poucos minutos depois … zzzzzzzzzzz ..

“A criança que recebe amor na infância será um adulto equilibrado,sem traumas e que transmitirá sentimentos altamente elevados para com os seres humanos e toda a natureza.”

.

Dois Meses

Pouco a pouco as coisas foram tomando seu lugar e tudo foi ficando mais fácil.
Parece que o João já está adaptado a este estranho mundo novo, deixou de ser um bebe chorão para ser o bebe mais simpático do mundo, isso não quer dizer que ele não chora (chora sim e muito), mas a gente já aprendeu a lidar com isso e também alguns truques para acalma-lo.
Nessa etapa tudo é muito rápido… O João já parece um bebe grande e está cada dia mais comunicativo e interativo..

Uma delícia!!!!

Porque chora o João?

A primeira forma de comunicação do bebê com o mundo é o choro.
E tenho que dizer que o João é um comunicador nato.
Já tem umas duas semanas que quando vai chegando a noitinha lá vem o João com discurso dele.
Não é fome, nem sede, nem tá frio, nem calor, não tem a fralda molhada, nem suja, não falta carinho, nem colo….

Então… por que chora o João?
Os primeiros episódios de choro foram duríssimos, não sabia o que ele tinha, nem o que fazer, me sentia impotente e tinha vontade de chorar também … até que alguém falou que podia ser cólica do lactente.
*cólica do latente = choro súbito, inexplicado e inconsolável.

Essa descoberta trouxe serias conseqüências para minha alimentação, tive que trocar minha adorada coca-cola, por chazinho de camomila, leite de vaca por leite de aveia, pouco açúcar, pouco sal, evitar chocolates e mais uma lista de coisas….
E mesmo com a alimentação mais “saudável impossível”, chegava fim de tarde e o João botava a boca no trombone.

Então… por que chora o João?
Talvez por estar cansado, ou para descarregar tensões, pode ter sono e nao conseguir dormir, pode ter gases e doí a barriguinha…

Ou simplesmente porque tem muitas coisas pra contar…

http://www.youtube.com/get_player

Pós-parto

O pós-parto resultou ser mais difícil do que eu esperava.
Um mês de muitas duvidas e sentimento a flor da pele.
O João cresce rápido e está cada dia mais lindo….
Mas acostumar com a rotina de ter um bebe em casa é difícil.

Sorte que tenho a vovó aqui comigo que me ajuda infinitamente.
E o papai também.

Uma outra dimensão

Desde que o pequeno astronauta está com a gente, entramos em uma outra dimensão e nada é como antes…
Agora quem manda aqui em casa é o João, é ele que diz quando, quanto e como…
E a gente, simples mortais, aprendizes de pais (com a ajuda da vovó) vamos cumprindo as ordens.
Essa 1ª semana tivemos ajuda “extra”, as parteiras e o pediatra iam revezando para a revisão pós-parto mamãe.e.bebe.
– evolução do João: Excelente: já recuperou o peso que tinha perdido nos primeiros dias e está perfeito. Saudável e feliz.
– Umbigo: Caiu no 4º dia e como diria amiga Bel: -Fenômeno!
– cicatrização do períneo: Maria me falou que está cicatrizando muito rápido e que se continua assim em pouco tempo já estou preparada pra outra. (vixe) Mas pra falar a verdade as vezes me toco lá embaixo e acho que tá estranho… Não me atrevo a olhar com o espelhinho… mas a Maria falou que em poucos dias estará como antes e eu acredito.
– Amamentação: o João mama muito e esses últimos dias o bico do peito esta rachando um pouco, as assessoras de lactância falaram pra ter muito cuidado com a “pega” e provamos posições novas.Os primeiros dias nessa nova dimensão são esgotadores…
Mas a gente vai recarregando energia constantemente, com as visitas, mensagens, flores, presentes e carinho de tantos tão queridos amigos… com a alegria de poder contar a bonita maneira que o João veio ao mundo, com ter tido um parto sem complicações e da maneira que desejávamos, com as expressões engraçadas do João e com o amor que cada dia cresce um pouco mais e invade nossa nova dimensão…

Nada é como antes…

Agora é muito melhor!!!

Amamentação

Uma das inúmeras vantagens de ter optado por parto domiciliar é que vinha incluído no “kit parto” assessoras de lactancia e primeiros cuidados… muito muito útil para uma mãe de 1ª viagem.
A maneira que o João mamou pela primeira vez, não podia ser mais bonita.
Estávamos os 3 (papa, bebe e eu) na piscina do parto, quando a parteira falou que eu colocasse o João entre meus seios… enquanto ela ia explicando que essa era uma boa maneira de que ele encontrasse a “posição correta”, mas que geralmente demorava um pouco para que o instinto e bla, bla bla,… antes do final da explicação o astronauta já tinha encontrado o caminho e desfrutava do seu leitinho colostro*.
Agora com o sonho feito realidade e com o João nos braços, a única coisa que eu queria era ….. dormir….

Antes claro… ligações para a mami (vovó) e pra família catalana, mensagens pros amigos e ir pra cama, mamãe e bebe juntinhos… como tem que ser.


Colostro: é o primeiro leite que a mãe secreta e tem um papel definido para a proteção do recém nascido. É rico em proteína e vitaminas A, E e K além de minerais como zinco e sódio, sendo assim contém menos gorduras e carboidratos. É amarelo, transparente, levemente salgado e com aparência aguada. No entanto tem maior valor nutritivo que o próprio leite e transmite ao bebê anticorpos da mãe, protegendo-o contra algumas doenças.

Peso, medida e outros…


O João nasceu na nossa casa
no dia 02.12.2007 as 10:27 hs.

sem anestesia,
nem episiotomia,
nem fórceps e ventosas,
sem pontos e nenhuma intervenção desnecessária.

Com 3.827 kg e 52 cm
APGAR 9-10-10

joao01

O NASCIMENTO DO JOÃO

Quando fiquei grávida, não tinha a mais remota idéia de como seria ser mãe, muito menos que haviam coisas sobre o parto que tínhamos que decidir ANTES de ir a maternidade, ficava horas na internet e demorei um tempo pra entender que o significavam palavras como epsiotomia, ocitocina, colostro, indução de parto, etc…

Então decidimos fazer um curso de preparação ao parto e por “sorte” encontramos um curso que apoiava o parto natural, aprendi muita coisa e a cada “classe” nos convencíamos da importância de um parto humanizado.

Eu já tinha entrado na semana 36 quando finalmente nos decidimos pelo parto domiciliar, quase já era tarde, mas por “sorte” a semana prevista para o parto era a unica que estava livre e como já conhecíamos as parteiras elas aceitaram fazer o parto do João.

Foi uma correria porque o pequeno podia chegar a qualquer momento e nessa semana fizemos varias consultas com as parteiras para passar exames, ultra-som, tivemos várias entrevistas para contar um pouco como somos e definimos detalhes importantes como por exemplo: Se acontece alguma coisa fora do previsto a que hospital ir, quem dirige, etc… Depois dos esclarecimentos, começamos com a lista dos preparativos para o grande dia…

Moro em Barcelona, e minha mãe veio ficar comigo no ultimo mês da gravidez, a casa que morávamos só tinha um quarto e decidimos mudar para outra casa (a 60 km de Barcelona) o tempo que minha mãe ficasse com a gente. Por opção pesssoal, eu preferia que no dia do parto não tivesse muitas pessoas em casa, só meu marido e as parteiras e com duas casas era mais fácil.
Agora sim… já tinha entrado na semana 39 e tínhamos tudo preparado.

Semana 39 e 5 dias:Na sexta feira (30.11) dormimos em Barcelona porque tínhamos uma reunião com as mamás do mês e as futuras mamás, foi muito emocionante e me sentia muito tranqüila.

No sábado voltamos pra outra casa, a tardezinha me sentia cansada (pensava que era por tantas idas e vindas a Barcelona), e as 21:00 enviei uma mensagem para as parteiras explicando como tinha passado o dia, (algumas contrações sem dor e irregulares e que amanhã eu dava mais noticias) e fui pra cama. Acho que dormi um pouco e acordei com uma contração diferente, parecia de cólica menstrual, e a diferença entre essa e as contrações que tinha sentido durante essa ultima semana era muito sutil… mas eu sabia que essas eram de verdade.

Disse ao marido que estava jogando buraco com a minha mãe, que era melhor ir a Barcelona e dormir ali porque parecia que estava “começando”…


ele responde: – Ok. Mas posso terminar essa partida que estou ganhando?
Risos.

E comecei a me arrumar para sair enquanto ele terminava a partida, minha mãe deixou ele ganhar para acabar mais rápido e fomos pra nossa casinha.

No caminho enviamos outra mensagem as parteiras e avisamos que estávamos indo a Barcelona porque as contrações eram diferentes. 
Resposta: ok. Tentar dormir e descansar, água quentinha, estar cômoda e ânimos.
No carro as contrações começaram a ser regulares, vinham cada 7 minutos e cada vez duravam mais…
Chegamos em casa as 00:30 (do dia 02.12 – data da DPP) me sentia muito cansada e fomos pra cama tentar dormir… tínhamos muito sono e por incrível que pareça dormíamos entre uma contração e outra.


A única maneira para aliviar a dor era ficar de quatro com a cabeça baixa e meu marido me fazia uma massagem na região lombar… uf.. era um alivio, então ficamos assim até as 04:00 (+ ou -) quando tive que me levantar para vomitar, fiquei um bom tempo no banheiro, botei tudo pra fora… e maridão aflito e preocupado ligou pras parteiras para informar de que como estava a situação e se era normal os vômitos.. Elas que estavam em outro parto (já no final) falaram pra que eu tomasse um banho quentinho que uma delas já viria pra casa.


Entrei no banho e passei duas contrações de pé que doíam muito, quando saí do banheiro a parteira (Maria) já tinha chegado. Me examina um pouco, escuta o coraçãozinho do bebe, (tudo bem!), e me faz um toque: 3 – 4 cms…


Oh.. não… Não podia acreditar, pensava que já estava muito mais avançada… e foi como um balde de agua fria.
Ela foi descansar no sofá e ficamos no quarto deitados, dormimos um pouquinho, acordava com a contração, massagem do marido e voltar a dormir…
Nesse momento pensei como seria parir em um hospital, me sentia bem em casa, já tinha apagado todas as velas, porque me incomodava muito a luz (imagine uns focos??) já quase nem respondia quando marido falava (imagine ter que agüentar médicos, residentes e enfermeras??) definitivamente a chegada do João não podia ser diferente…
As 8:00 as contrações já eram regulares e muito doloridas, já não podia estar deitada, e me levanto, dou umas voltas na casa, marido saí pra comprar café da manhã, a parteira me faz massagem quando vem as contrações, provo ficar de cócoras, provo ficar de pé apoiando a cabeça na mesa, provo andar um pouco…

Maria quer ver como está o bebê então volto pra cama, escuta o coração dele e me fala: Tá tudo bem!  Ele esta feliz!  aproveitamos pra ver a dilatação e já estava de 7-8 cm… e ela super doce, dizia, muito bem Flavia, você esta fazendo muito bem… e isso me anima…

Mais ou menos as 9:30 – uma contração mais forte e estoura a bolsa, e a partir daí tudo foi muito intenso… as contrações doíam muito, Maria pergunta se eu quero que preparem a piscina (piscininha de parto inflável) para terminar de dilatar… e eu digo que sim, sem saber muito bem o que eu dizia, o único que queria é que me deixassem tranqüila… sinto muita dor e de repente… quase não sinto dor… entro em uma espécie de transe e me deixo levar…


As parteiras falam que existe o “planeta parto” e eu acho que estou ali, vou pro banheiro e me sento, agarro uma toalha que estava pendurada e começo a fazer força, já não penso na dor, só sinto que o pequeno astronauta já esta chegando…


Grito, emito ruídos, sinto como se meu corpo soubesse exatamente o que fazer…

Maria entra no banheiro com um espelhinho, me examina e fala pra irmos pro quarto porque se não João nasceria alí mesmo, fala pro marido ligar pra outra parteira que venha rápido.

E vamos pro quarto, colocamos um colchaozinho no chão e fico de quatro com a cabeça apoiada no colo do marido, que segurava minha mão com força…


Meu corpo pede pra fazer força e gritando encontro forças que nunca imaginei que tinha…
saí a cabeça, 
(Maria comentou depois que o pequeno tinha a mão na cabeça o que dificultou um pouco, primeiro saiu o braço estilo super man e depois a cabeça).
 Maria controlava, agora faz força, agora sopra, agora…. e escutamos o choro…

O JOAO JÁ ESTA AQUI…
Ela me passa o bebe, ao contrario do que eu pensava, não quero saber se tem todos os dedos, se é bonito, se é gordo, se tá sujo… não faço nem um tipo de chequeio, só seguro ele nos braços, o papai do lado se emociona e nos abraçamos…

O João nasceu na nossa casa no dia 02.12.2007 as 10:27 hs.

sem anestesia,
nem episiotomia,
nem fórceps e ventosas,
sem pontos e nenhuma intervenção desnecessária.

Com 3.827 kg e 52 cm
APGAR 9-10-10