All posts in Coisas que fazem a vida valer a pena

A primeira vez

Porque a maternidade te brinda com a mesma emoção da tua primeira vez, ao ver teu filho descobrindo por primeira vez as coisas lindas dessa vida.

Pena que não deu pra filmar debaixo d´água e mostrar pra vocês o que ele estava vendo… Mas dá pra imaginar, né?

Pro dia nascer feliz!

Hoje de manhã ele acorda, vem pra minha cama e me enche de beijos.
Morro de amor e falo pra ele que a mamãe o ama, muito, muito, muito.
Infinito!!!!

Ele responde:

E o João também “infinito y más allá”.*

Existe maneira melhor de começar o dia?

*Resposta inspirada na frase do Buzz Lightyear em español: “hasta el infinito e más allá”

Futebol

Adoro futebol!

E tive a sorte de nascer num país que de 4 em 4 anos, vive a copa do mundo da forma mais intensa e emocionante jamais vivida, é a pátria que calça chuteiras do Nelson Rodrigues, que se pinta de verde-amarelo e que pára inteira para ver a seleção entrar no campo.

Tenho inúmeras lembranças relacionadas a Copa.

Me lembro claramente do primeiro ano que aprendi a ver futebol, em 86, das vitórias, da festa, da minha rua na Pompéia, toda pintada de ” É TETRA BRASIL”, da energia incrível de gritar gol e sentir todo um país gritando junto… lembro da ansiedade pré jogo… do pênalti perdido pelo Zico, o “galinho” que segundo meu pai era o melhor jogador do mundo, da decisão por pênaltis contra a França… do silêncio no final… das cara tristes dos jogadores e torcedores e de chorar junto com eles a tristeza de “voltar pra casa”.
 

O futebol faz parte da nossa cultura, faz parte da minha brasilidade e das lembranças da minha infância. E o futebol do Brasil, é arte, é jogo bonito, é emoção, é o povo feliz, é um campinho improvisado em cada canto, é paixão desde pequenininho é festa e alegria.
 

Moreré/Bahia

De 86 pra cá já foram 5 copas, algumas com mais emoção e outras com menos, mas com aquela euforia louca de ser favorito, sempre! Mesmo com todos criticando o técnico, mesmo que o time não esteja nem tão bom esse ano…

Mas é o Brasil, e a esperança de sentir a emoção de ser campeão de novo.

Me lembro de viver o tetra, no interior da Bahia, com direito a comemorar com trio elétrico na mais intensa explosão de alegria.

E de viver o penta, em Barcelona, no ano que cheguei aqui, e comemorar com milhares de brasileiros e simpatizantes, que tingiam as ramblas de verde-amarelo e entre samba, timbaus e fogos gritávamos “a rambla é nossa, ha ha hu hu…”.
***Os catalães apesar de serem apaixonados por futebol, não vibram tanto com a copa do mundo, um pouco porque a seleção espanhola, nunca chegou muito perto de ser campeã, nunca sentiu esse gostinho… ;) Mas o motivo principal é que os catalães não se sentem espanhois por consequência da história e da repressão cultural que sofreu durante anos…

Camp Nou-Barcelona Foto: Vitão


 
Na verdade, eu acredito que a maioria deles, (os catalães), principalmente esse ano que o time da Espanha está formado por muitos jogadores do Barça, não seja tão indiferente quanto aparenta ser. Sinto que está rolando uma torcida silenciosa, que não é capaz de vestir a camisa e torcer apaixonadamente porque pra isso, é preciso identificação e pertencimento… Mas já começo a ouvir alguns sussuros esperançosos de uma possível final com a seleção “canarinha”.

 

Oxalá! Tô torcendo por isso!

 

Adoraria!

 

E se por um lado é legal sair na rua, e viver a copa do mundo numa cidade cosmopolita, com turistas e imigrantes de todas as nações (e times, e bandeiras e camisas…), por outro lado, sinto falta da unanimidade das nossas cores e do eco dos gritos de gol fazendo uma ola na rua.
Mas, mesmo assim, a milhas e milhas distante do próprio país, a gente faz a nossa festa, se veste de verde-amarelo e nos juntamos pra ver o jogo.
Nessa copa, a primeira do João, estou mais animada que nunca, fazendo tabelinhas desde o comecinho (super acertadas até agora) e fazendo questão de reunir os amigos brazucas, pra passar pro pequeno um pouco dessa nossa paixão nacional e pra sentir o coração bater mais forte na hora do hino, pular e gritar, me emocionar ao ver o filhote correndo pro abraço na hora do gol, comemorar com ele na repetição e me sentir mais perto do meu querido Brasil…

 

nem que seja por 90 minutos apenas.

 

“… É preciso ter o Futebol no sangue, e a gente, neste momento, não dúvida de que qualquer laboratório detectaria a presença do Futebol no sangue de cada brasileiro, numa mistura balanceada com glóbulos brancos e vermelhos…”.

(Mino Carta editorial da Revista Isto É, n° 212 – jan/81)

um pouco de tudo… com carinho!

Na minha lista de coisas pra fazer antes de acabar 2009, a prioritária era dar um alô pra vocês, queria fazer uma retrospectiva de 2009, contar como foi nosso Natal, contar sobre o caganer, sobre os presentes do João, sobre o amigo secreto, sobre as amizades que fiz esse ano através do Astronauta…

Não vai dar pra fazer todos esses posts, porque o tempo voou, fiquei um pouco desconectada, e quando me dei conta já falta bem pouquinho pra 2010. Vou tentar contar um pouco de tudo… Talvez fique parecendo um quebra-cabeça faltando peças… mas se for assim, refletirá um pouco das emoções das ultimas semanas, felizes e tristes, a alegria do Natal e o montão de saudades da família de lá, e aquele sentimento de querer estar em dois lugares ao mesmo tempo.

Nosso Natal foi lindo, nem só de caga tió se faz um Natal por aqui, o Papai Noel também apareceu, e foi emocionante, apesar de que o João ficou no colo e não quis chegar muito perto, ele vibrou com a festa e amou os presentes. E hoje vendo as fotos ele gritava, papai Noel, papai Noel… tenho certeza que o ano que vem ele será o primeiro a correr pro abraço… viu Papai Noel? E obrigada por esse momento lúdico.

Além do Papai Noel, teve a família daqui, teve comer bem (e beber melhor ainda).. Teve um pouco de melancolia e saudades… Teve Skype especial de Natal. Teve presentes, roupa nova, caga tió e sentir-se em família

Essa manhã o João recebeu o presente do amigo secreto, que foi a Manuela do Mamy de primeira, ele ganhou um livrinho e um DVD e foi delicioso receber esse carinho diretamente do Brasil Obrigada!!

Então vai chegando o ano novo, e um sentimento gostoso de renovação e de esperança que o próximo ano vai ser melhor!!

Então resgatei um cartãozinho que fiz em 2007, pouco original, eu sei… mas é que eu adoro!! o pézinho representa o Astronauta… e esse texto do Drummont diz exatamente o que eu queria dizer pra cada uma de vocês que fizeram parte de 2009, de uma maneira muito, muito especial.

Mais uma vez, e sempre… Muito obrigada!! pelo carinho e pela amizade.

Tenho e-mails lindos que me fizeram sentir muito querida pendentes de responder, agradeço aqui em coletivo, mas quando passar as festas respondo com calma e o carinho merecido. tá?

No mais… tudo em paz e desejos de um ano novo incrível para todos nós!!

muitos beijos

Família Astronauta

(clique na imagem para ampliar)

parte dois




my girl

::

a família do Astronauta agradece a Mari, Carlos e Alice, e Mari (y Ana), pela companhia agradabilíssima e por fazer do encontrinho uma dessas coisas que fazem a vida valer a pena.

besos

:: Mais sobre o encontrinho, nos deliciosos posts:
da Mari do guia pratico, aqui. E da Mari, na janela, aqui.

Coisas que fazem a vida valer a pena

Amei os mimos virtuais do dia do meu aniversário…
Não sou do tipo que comemoro com festas… mas adoro quando as mensagens, ligações e presentinhos não deixam passar o dia em branco.
Vocês fizeram meu dia mais feliz. Obrigada.

É aí que me dou conta que os momentos felizes estão nas coisas simples, por isso hoje quero falar de coisas boas…
Das coisas que fazem a vida valer a pena!
Enumerei algumas, mas quero sempre voltar aqui pra aumentar a lista das coisas que eu amo e me fazem feliz.

:::

Amigos, crise de riso, chorar vendo um filme, emocionar-se com um livro, abraço apertado, morrer de amor com o filhote, ficar o dia inteiro na praia, sol até as 21:30, jogar voley, Formentera…

Escrever no blog, ler os meus blogs preferidos, receber comentário de quem sempre passa por aqui mas nunca comenta, receber comentários das amigas reais e das (reais-)virtuais, sentir saudade, matar a saudade da família por telefone, por e-mail, por skype…

Escutar musica brasileira, cantar, ver o João dançar, descobrir uma musica incrível, escutar a mesma musica 10 vezes seguidas, ter ingresso comprado para um show bacana…

Comida de mãe, “menú degustación del Shunka“, comida da sogra, inventar uma receita e ficar uma delícia, ver o pequeno comer e repetir o prato…

Andar descalça, beijo na boca, flores amarelas, beijo de filho, croissant de mantequilla, dormir junto, dormir sozinha em cama de casal, dormir 9 horas seguidas…

Feijoada com pessoas queridas!

Começar a semana na terça-feira, de bom humor, despedir do marido com um beijo-não-automático e pensar nas coisas que fazem a vida valer a pena pra escrever aqui pra vocês.

um beijo e boa semana!