All posts in Blogosfera

interrompemos nossa programação…

Quando escrevi esse post sobre o dilema de continuar escrevendo no Astronauta, não pensei que seria uma grande novidade, já que já faz tempo que não invisto a mesma energia com o blog, e isso se nota. Mas os comentários desse post, (thanks!  vocês são incríveis!) e o auto desafio (que não tá dando pra seguir as regras, mas tá rolando…) me ajudaram a refrescar a memória e entender o porque eu tenho um blog. Talvez depois escreva sobre isso também, mas hoje queria contar outra coisa boa que veio a partir desse post… uma troca de e-mails e um bate papo gostoso com a Mari do muitosecreto, que acabou virando um convite pra ser a VIP dos 120, (porque pra toda exceção tem uma regra e vice-versa) que ela aceitou, e escreveu esse post adorável que com certeza mais de uma mãe-blogueira se sentirá identificada.

Enjoy!

E passa lá pra conhecer o MUITOSECRETO que vale muito a pena.

:::

Eu escrevi muitos diários na adolescência. Não eram agendas, cheias de clips, ingresso de cinema e papel de chiclete. Não. Eram pequenos cadernos, de 15X20cm, pautados. A escolha do diário na papelaria era demorada, curtida, cheia de dúvidas e encantamentos. Lembro-me do quanto considerava especial as primeiras palavras lançadas na folha em branco. Meus diários tinham nome. E eu conversava com eles durante os meses que levavam até que suas 90 páginas estivessem completamente tomadas pelas minhas letras. Não trocava canetinha, não colava selinhos. Eram só as minhas palavras, contando dia após dia o que acontecia da minha vida de adolescente.

Houve uma vez, em uma viagem de verão para Florianópolis, eu tinha13 anos, que minha irmã e minha prima tomaram o diário escondidas. Desesperada, recorri à minha mãe que, furiosa, baixou uma ordem: se alguém ler o diário da Mariana, vai se ver comigo. Foi assim que ficou assegurada a minha liberdade de escrever o que quisesse. Eu gostava de escrever. Sempre gostei. Eu contava para o diário. E contava tudo. Não tinha segredos. E quantas histórias…! Tudo sempre acontecia durante as férias, quando eu interagia com o mundo sem carregar os rótulos que naturalmente recebera no colégio, onde estudei dos 6 aos 17 anos. Não que fossem rótulos ruins, mas por alguma razão, ou várias, nunca consegui viver no colégio as aventuras que vivia nas férias. Quando recomeçavam as aulas, minhas amigas se reuniam ao meu redor, pra ouvir as histórias que eu tinha escrito no diário. Às vezes, eu as deixava lendo sozinhas, como se fosse um livro, sob a condição de que respeitassem os alertas TOP SECRET no topo da página. Quando apareciam, eu tinha que previamente avaliar se aquele segredo podia ser lido ou não. Foram anos de diário, e foram muitos diários. O último foi no ano de 2001. Era menorzinho. De bolso. Tanto sofrimento por amor… Meu último diário é praticamente um livro de poesia. Parte dele foi inteira transcrita e depois entregue ao seu destinatário, um menino lindo, alto, doce.

Sobre tudo isso eu pensei quando decidi começar o meu blog. Se quero apenas escrever, registrar essa fase da minha vida e da vida da minha filha, por que não faço um diário? Por que torná-lo público? Acessível a desconhecidos? Por que expor minha intimidade e da minha filha? Qual o significado dessas relações virtuais? Por que as pessoas perdem tempo conversando com estranhos quando poderiam estar se dedicando às relações reais?

Por outro lado, a blogosfera materna começava a me conquistar e eu devorava blogs como se fossem livros, e participava da vida daquelas mães desconhecidas, que então, meu deus!, é claro que já não eram virtuais, eu sabia tudo da vida delas, eu torcia por elas, eu ria e chorava com elas, eu sentia falta de notícias quando deixavam de postar. E mais: naquele momento, eu me identificava muito mais com as mães blogueiras do que com as minhas próprias amigas, ainda sem filhos.

O que me convenceu mesmo foi a imperiosidade de pertencer ao meu tempo, à minha geração. Era preciso experimentar o novo.

Descobri muitas coisas, boas e ruins, sobre a blogosfera e sobre blogar. Hoje não estou com vontade de falar sobre as ruins.

Sabem? Quando eu escrevia meus diários, sempre pensava que no futuro eu fosse querer ler tudo aquilo. Preciso confessar que uns anos depois, eu ainda era bem jovem, abri uns deles e fiquei um pouco desapontada… Nossa! Como eu era bobinha. Ainda assim, tenho todos guardados. E acredito que o distanciamento no tempo pode desencantar alguns segredos sobre mim mesma, quando for o momento de reencontrar aquela adolescente que um dia vai estar perto de se despedir dessa vida. Tenho a mesma fantasia quanto ao meu blog. Com a diferença de que é minha filha que imagino lendo o MUITOSECRETO e, então, descobrindo, se não a história dela, ao menos a mãe que contava a sua história. Porque acima de tudo, a melhor coisa do blog, é que o compromisso da escrita, selado com pessoas, em tese, virtuais, faz com que – mesmo ali, na fase crítica entre uma mamada e outra – sentemos na frente do computador e busquemos transformar o sentimento em palavras, em registros. Mas não só os registros dos grandes eventos, das festas de aniversário, natal, férias, festas juninas (como nos álbuns de fotos). Os registros das coisas cotidianas, das coisas que deram errado, das descobertas, do primeiro-tudo da vida dos nossos filhos, e do primeiro-tudo das nossas vidas de mães. A história da minha filha é só dela. Eu sou apenas uma testemunha. A minha história, de uma mulher aprendendo a ser mãe, não qualquer uma, mas aprendendo a ser a mãe da Laura… bem, essa história está no blog, contada por mim, com a maior sinceridade possível. Pra um dia, quem sabe, se ela quiser, poder ler. E, sejamos francas, bem pode ser que ela não leia. O que, no final das contas, nem sei se faz diferença. Porque, enfim, existem vocês, leitoras da blogosfera materna. Interlocutoras virtuais com quem eu converso, como se conversasse com os meus diários. Leitoras que sustentam uma rede virtual que tem o imenso poder de estimular a confecção de uma grande colcha onde são bordadas, por cada blogueira, as histórias de nossas vidas, de uma geração de mães que encontrou uma forma de compartilhar a experiência materna, num mundo cada vez mais marcado pelo individualismo.

Isso é bonito, ou não é? Flavia, siga. Vamos seguir, juntas, até quando der.

I LOVE IT

Quando eu soube do STELLA´S LITTLE PROJECT, também pela Mariana do MÃE DA RUA… achei a ideia muito legal, mas não dei muita importancia… (Afinal os rabiscos desenhos do João, apesar de lindos ainda não dá pra encaixar na categoria “decifraveis para todos”) até que hoje, passeando pela blogosfera de volta de umas mini-férias, cheguei nesse post da Marina Fiuza, ou melhor no adorável RAINBOW MOUSE, desenhado pela filha dela que esta participando do concurso e achei o projeto ainda mais interessante.

Copio aqui no blog, uma parte do post, escrito por ela. E me alio ao exercito!! E também convido às pessoas que passam por aqui, pra votarem no desenho, é fácil: é só clicar no botão “I LOVE IT”   (e ter conta no facebook).

Dá pra não amar??

Pessoal, soube do Concurso da Stella McCartney no blog amigo da Mariana, Mãe-da-Rua. Minha filhota, que cria seres imaginários com a mesma frequência que respira, criou o RAINBOW MOUSE, corajoso ratinho que entrou na competição para estampar uma camiseta da estilista. A brincadeira tomou proporções enormes, tem saído na mídia e o incrível poder da internet nos rendeu MIL E OITOCENTOS 2.572 votos (até este momento) e mais de ONZE MIL convites para participar da nossa campanha no TROPA RAINBOW MOUSE.  Estamos em primeiríssimo lugar, mas sem muita vantagem em relação ao segundo. Queria pedir a todas as pessoas que visitam este blog para se juntar ao nosso exército e colocar um pouco de Brasil nessa moda. Para votar é simples, basta acessar o link do concurso (AQUI) e clicar no botão “I LOVE IT” ( é preciso ter um conta no facebook.) É fácil, rápido e não requer cadastro. Ajudem essa mãe coruja! A votação vai até 02 de maio. Obrigada a todos que já votaram e divulgaram. xxx Nina Fiuza

a V.I.P. dos 110

Ahhhh, nem acredito que estou no post VIP do astronauta… um número redondinho pulando na minha tela. Fico olhando, demoro um pouquinho para acreditar.. feliz, feliz e daí o pânico da responsabilidade de escrever nesse cantinho tão tudo de bom. Cabeça pensante entra em ação… sobre o que escrever? Branco total e percebo minha cabecinha tão criativa entrando em curto e uma voz estridente berrando.. sua louca, não podia só ficar feliz e deixar o numerozinho redondo passar? Respiro fundo, mando a voz chata ficar quieta e ops… silêncio total. Idéia? idéééééías… alguém aí dentro para me dar um oi?

Já que fui abandonada mesmo por todas as idéias, resolvi começar a escrever e quem sabe assim, no final rola algo bom? Vou falar um pouquinho sobre mim e depois… bem, depois eu ainda não sei, mas até o final (prometo não ser loooongo demais) a gente descobre!

Então a história fica mais ou menos assim… Foi com uma matéria sobre a Flávia e o cantinho do João Astronauta em algum jornal (claro não me lembro qual) que criei coragem e comecei no meu cantinho. Foi um início meio tímido e não poderia deixar de ser, já que sou assim na vida. O primeiro post certamente foi bem mais travado que este que faço agora, mas saiu e depois escrevi outros vários (ufa, ainda bem). A escolha do nome surgiu de uma brincadeira do momento que estava minha vida e então, ficou “Vida de Margarina”.

Não imaginava conhecer pessoas tão fofas, algumas deixaram de ser virtuais, outras, mesmo estando um oceano de distância já são tão amigas como se fossem vizinhas de porta. Claro que tem gente que dispenso os comentários, mas essas pessoas existem em todos os cantos e nem vale a pena esquentar, pelo menos no blog eu tenho como deletar de verdade… hahahaha. Nossa, como seria bom se a vida tivesse algumas ferramentas do blog, né? Seria um tudo poder deletar certos comentários num simples clique, poder visualizar um momento da vida antes de publicar, deixar algo que ainda não está bem formado lá na pasta de rascunho ou agendar uma publicação de algo legal, para um dia específico… os bugs a gente dispensa, tá?

Parece que escrevendo, escrevendo o post se formou. Claro que nem se compara com os da Flávia ou com os vídeos fofos do pequeno João, mas espero que gostem. Afinal, como é complicado escrever no cantinho dos outros, mas foi legal ser VIP e ter um pouquinho sobre mim por aqui… num lugar que tanto gosto! Espero que vocês gostem também e quanto a demora, bom.. essa foi por uma mega gripe que peguei e que me deixou completamente indisposta para qualquer coisa, mas depois de 17 dias, ela finalmente foi embora e meu nariz deixou de ser um tomatinho.

Agora vou pensar num post lá pro vida de margarina… pensar, pensar… opss, parece que as idéias fugiram de novo… hahahaha! Deixa eu ir antes que elas corram para muito longe…

Bjos

Post escrito pela Keyla, do “Vida de Margarina”. Ela já tinha sido VIP uma vez, quando ainda era uma blogueira recente, me mandou um e-mail super fofo e deixou pra escrever aqui em outra oportunidade.
E dessa vez, não deixou o redondinho passar. Obrigada querida.  beijão

Amigos

Antes de tudo queria agradecer a todos os amigos que participaram e a todos os comentários carinhosos do post de aniversário do João… Bom demais da conta saber que vocês também sentiram daí todo carinho e emoção de cada foto e de cada desejo…
Foi emocionante juntar as peças e reunir os amigos e o amor vindo de tantas partes do mundo.

Obrigada!!!

Estarei em off por uns dias, estamos na reta final dos preparativos pra ir ao Brasil e entre deixar as coisas em ordem por aqui, preparar a viagem, comprar algumas lembrancinhas, em meio dessa correria normal de fim de ano, sobrará pouco tempo para o blog, mas assim que der volto por aqui e passeio por aí, para colocar as novidades em dia.

Estaremos em Salvador por uns dias, combinei com a Paloma que também estará de férias na Bahia, da gente se encontrar e queria aproveitar a oportunidade e saber se as mamães blogueiras de Salvador topam fazer um encontrozinho?? A data ideal pra mim seria a sexta-feira 17/12… E vocês??

E falando de amigos, aproveito pra mandar um recadinho pro amigo secreto do João que ainda não recebeu o presente… A previsão dos correios daqui foram de 20 dias da data que coloquei no correio, então pelos meus cálculos deve estar chegando na semana que vem… Estamos ansiosíssimos pra que você receba logo teu presente, que foi comprado com muito carinho.

E pra terminar queria divulgar aqui o site de uma amiga querida e talentosíssima, sei que a maioria das pessoas que passam por aqui já conhecem o trabalho dela (êita blogosfera pequena…) mas acho tão bacana quando uma pessoa dá o passo de ir encontro ao seu sonho, que não podia deixar de fazer minha pequena contribuição pro sucesso desse trabalho

É o lalelilolu, o site de ilustração da Lú, mãe do Nic. Passem lá… babem nos desenhos e peçam um pra vocês…

lalelilolu illustration

¡Hasta pronto queridos!

Feliz!

50 mil vezes Feliz!

“Pra quem não sabe, aqui no blog é assim:
Cada vez que o contador marca números múltiplos de 10 mil o leitor vira escritor e é a sua vez de contar uma historinha.

Então caro amigo, se o contador acima marca 50.000…

PARABÉNS!! Você é uma pessoa de sorte! E o próximo post é por tua conta.

Manual de instruções:
- Se você é o visitante 50.000 e quer participar da brincadeira é muito fácil, basta deixar um recadinho, de preferência como anônimo, (para aumentar o suspense) dizendo:
Eu sou o sortudo(a) visitante 50.000 o próximo post é por minha conta.

- O seguinte passo é fazer o post, (free style), conta pra gente um pouco de você, copie uma musica, divulgue seu blog, resgate teu post preferido, conte uma piada, deixe uma sugestão, uma receita, uma poesia, sei lá, qualquer coisa, só não vale deixar passar em branco um numero tão redondinho, né?
(também pode complementar o texto com uma imagem, foto, link ou vídeo)

- Quando tiver pronto, enviar o post ao e-mail do astronauta:
joaoastronauta@gmail.com, que eu publico na sequencia.

- Para saber mais sobre os visitantes especiais do Astronauta, aqui nos VIPs.

O astronauta agradece! “

Favorite Photo

A Carol do blog Mother Love Database , me convidou para para participar do Favorite Photo Meme, aonde cada pessoa convidada deve escolher sua foto preferida, explicar algo se quiser, publicar no blog e convidar outras blogueiras.

Eu não tenho uma foto preferida, mas escolhi essa, de um praia de Formentera, porque com os dias tão cinzas que anda fazendo ultimamente, to com saudades de dias de verão. E também porque nessa praia, eu descobri que estava apaixonada pelo maridão. E mesmo tendo certeza de que o João foi a melhor coisa que me aconteceu… as vezes também sinto uma saudade danada daquela época que eu era tão livre, leve e solta.

Boa semana! e vou voltando aos pouquinhos, tá?

Ah, sim… Tá todo mundo convidado pra participar, vou adorar ver fotos bonitas por aí. Beijo

Agregar papéis. By: Visitante 40 mil

A Mari, mãe do Caetano, do poético blog “Projeto macieira”, é a queridíssima visitante 40 mil. Ela fez um post muito legal, sobre a volta ao trabalho, eu adorei e tenho certeza que muitas leitoras mamães se identificarão com o post.
Obrigada Mari pelo carinho, os comentários e por não ter deixado passar em branco um numero tão redondinho.
Um beijo grande e boa sorte nessa nova fase.

Enjoy!

AGREGAR PAPÉIS

by Mari Tezini

Depois de matutar sobre o que escrever, resolvi falar de um assunto que está me rondando esses dias.
A maternidade é mesmo um momento de repensar muitas coisas, inclusive a vida profissional. Algumas coisas simplesmente deixam de fazer sentido e dão lugar a outras. Surgem novas possibilidades e afinidades. E que bom que isso acontece, né? Afinal não nascemos para ficarmos estagnados.
Ando observando cada vez mais mães tomando rumos diversos nessa área: mães felizes por terem sido demitidas nessa volta da licença-maternidade; mães que optaram por parar de trabalhar e ficar em casa já na gravidez; outras que foram buscar novos campos de trabalho que tivessem afinidade com essa nova fase; outras adaptaram e flexibilizaram sua profissão ao novo momento; algumas não vêem a hora de voltar a trabalhar…enfim não tem limites para esses novos arranjos.
A culpa me parece ser companheira das mães nessa fase, mas de nada adianta ficar em casa e infeliz contando tudo o que está perdendo lá fora e nem trabalhar e ficar se lamentando. O equilíbrio nem sempre é fácil de encontrar, e pra mim essa frase fala muito sobre nossas escolhas: “Mãe feliz, bebê feliz”. Escolhi não abrir mão da minha maternagem e nem do meu trabalho, porém fiz algumas adaptações e busquei alternativas que me deixassem feliz na dedicação ao meu filho e no trabalho. E o mais importante, foi tudo pensado e pesado conscientemente. Nessa hora uma dose de intuição e questionamento se faz necessária.
Felizmente poderei deixar meu pequeno com a avó ou o pai e bem pertinho de mim. Isso já faz com que metade do processo seja mais fácil para nós dois. Afinal ele tem somente 7 meses.
Eu não me vejo uma workaholic-executiva-com-dois-celulares-e-salto-alto e nem uma mulher-tanque-e-fogão-descabelada. Achei o meu equilíbrio. Diminui o ritmo. Quero que o pequeno saiba que o trabalho pode trazer prazer e realizações importantes e vou passar adiante o meu exemplo. Não existe certo ou errado, mais ou menos mãe. Existem conseqüências de cada escolha: financeiras, sociais, íntimas e familiares.
Trabalhar é um tempo só seu, se for algo que dê prazer então melhor ainda, é gostoso realizar, poder fazer algo diferente, ver os frutos do seu trabalho. Porém quero me dedicar em algo que seja significativo e verdadeiro para mim. Desde os tempos mais primitivos o trabalho sempre foi agente de grandes transformações pessoais e coletivas. E eu vou voltar porque eu quero e porque encontrei algo que acredito e quero me dedicar.
Agora a Mariana não consegue mais se separar da Mariana-mãe, não dá pra dissociar. Desde que o Caetano nasceu eu agreguei mãe ao meu nome e isso não excluiu outros papéis, no entanto os transformaram.
E essa hoje é a minha maior alegria, poder unir meu trabalho a esse novo universo que a maternidade traz a cada dia, sem precisar “ser duas”. Assim como nunca pensei em continuar a mesma Mariana de antes após ser mãe, eu também nunca pensei que para ser uma boa mãe eu precisasse deixar aquela Mariana-profissional (e mil outras) de lado. Agora muito do meu tempo deve ser dedicado ao meu filho e ponto final, não posso me jogar no trabalho tanto a ponto de chegar estressada ou cansada demais para dar atenção a ele. É uma obrigação esse compromisso com o filhote.
E vocês como conduziram esse momento na vida? Qual o caminho que tem dado certo? Foi uma decisão do casal? Como é o tempo que fica em casa com o filho? E a vontade de realização profissional, pode deixar de lado sem culpas?
Assim que eu me engrenar nessa nova fase eu venho aqui contar pra vocês como está sendo, combinado?

Amigo secreto II

Já faz um tempinho, a Fabi (meio baiana meio carioca) deixou um recadinho, super carinhoso aqui no Astronauta, e foi assim que a gente se “conheceu”, (ainda virtualmente falando). Daí que fiquei super feliz de ver ela participando do amigo secreto, e conhecer “fotoalmente” a filhinha dela, a fofíssima Laura. Deixei um recadinho pra ela disponibilizando um espacinho por aqui, caso ela quisesse fazer um post do amigo secreto. Ela topou e eu adorei!

Com vocês… a Fabi:

Amigas Blogueiras,

Muito gentilmente a Flá e seu Astronauta nos cederam um espaçinho para demonstrarmos toda a nossa alegria em participar do amigo secreto da Lilata.

Não somos blogueiras, mas acompanhamos vcs de pertinho. Entramos meio por acaso neste mundo da blogoesfera via pesquisa bebezística no Google. O primeiro foi o Guia Prático, dele para o Projetinho de Vida e assim, de blog em blog paramos no Astronauta, conhecemos a Flá que tem a incrível capacidade de transformar o virtual em real, e não largamos mais este universo.

E a partir daí foi uma descoberta atrás da outra. Descobrimos com a Lúcia – Diário de um Grávido- que nem só de mãe vive a blogoesfera, descobrimos com o Noah – Piscar de olhos- que podemos fazer comprinhas bárbaras na blogoesfera (Rô, adorei o encontro, as compras, tudo!), descobrimos também a Laura- Pelos cotovelos e cotovelinhos, a Ciça – Novas peripécias da Cecília, o André da Lilata, o Caio – Aprendiz de mãe, a Valentina – Motherholic, a Nina –Dani,Marcão e Nina – e tantos outros.

E aqui estamos nós, felizes da vida de termos encontrado vocês e participado do amigo secreto dos sobrinhos virtuais. A nossa amiguinha Ciça já nos incentivou a entrar na blogoesfera…Ahhh Ciça mas para isso é preciso talento…mas..como assim entrar na blogoesfera?!? Já nos sentimos parte dela! Podem esperar que estaremos sempre participando, um comentário ali, um pitaco acolá e dando notícias da pequena Laura.

Obrigada por compartilhar conosco suas estórias que tanto nos ensinam divertem e emocionam. Um super 2010 repleto de posts!! A Flá, mais uma vez obrigada e parabéns pelo seu dom de cativar!

(Ciça esta é para vc, olha a Laura brincando com o presentinho que vc deu! Ela adorou!)

São Google, comments e afins…

A Thais, gostou da brincadeira, foi no aprendiz de mãe conferir se tem maluco por lá também… E mandou para gente mais pérolas:
relatos de prazer” (OLHA OS TARADINHOS AÍ!!)

“qual o limite de uma mãe que ama o filho” (BOA PERGUNTA…)

“meu bebe nasceu após eu estimular meus seios” (HEIN???)

“né que o nariz é sensível” (ESSA É A MELHOR!!!)
”
os mais fases croche para a prende quero ver en vidio (HAHAHA)

“desmame, depois de quantos dias sem o bebe mamar o leite do peito não presta mais” (AFE!!).
Boa Tha, eu adorei!!

A Roberta, se inspirou e colaborou com mais algumas buscas, fresquinhas de ontem de manhã:
“morcegos sabem quando uma mulher esta gravida”
“porque temos que piscar os olhos?
”
“caminhar com a pança bem comida”
“assuntos interessantes para conversar”
“olhos piscar na cabeça dos morcegos”
Disse a Roberta: aparentemente o google entende que meu blog é uma boa fonte pra quem quer saber sobre morcegos. e os morcegos sabem quando as mulheres estão gravidas
.
Mas a leitura do “Piscar de Olhos” pode ser inspiradora para ter “assuntos interessantes para conversar”.Né? Ponto para o Google.
E falando nela, deixo aqui o link do blog provisório com coisas bacanérrimas para crianças, bebês e mamães, que ela esta vendendo. Passem
Ps.: essa é uma publicidade provisional*, quando o site oficial estiver no ar, o Astronauta volta aqui pra dar o novo link.
(a palavra provisional, não existe em português… ok! Obrigada Rô!)
A Dani e a Renatinha, querem saber como a gente pode encontrar esses dados
Existem muitas maneiras, no meu caso eu uso o StatCounter, como contador de visitas e ele me fornece essa diversão semanal, com a ferramenta “Keyword Analysis”. Na minha opinião é um contador bastante completo e auto explicativo. Recomendo!

E aproveitando que estamos falando de comentários…

Já faz um tempinho, que escrevi aquele post, prometendo amor eterno, e resposta a todos os queridos leitores comentaristas deste blog.
A parte das respostas, eu tentei, mas não deu certo.
A coisa mais legal de ter um blog, na minha opinião é a espontaneidade, e por ter prometido responder os comments me sentia na obrigação de faze-lo, e quanto mais comentários “pendentes de respostas” , maior era o peso da “obrigação” e consequentemente menos vontade de responder… Pensei em deixar pra lá minha promessa, e fingir que nunca tinha prometido nada, assobiar e sair andando… Mas achei melhor me explicar e “desprometer” o prometido.
A parte do amor eterno, continua valendo para todos os queridos LEITORES comentaristas do blog. Mas a parte de responder TODOS os comentários, vai ficar pra depois, vou tentar responder quando os comments pedem resposta e/ou quando a pessoa que comenta não tem blog/twitter para retribuir o carinho. E quando rolar inspiração porque responder por responder ou só pra dizer que respondi, não vale, né?

E outra coisa… Eu adoro comentários (e quem não?) Mas quer saber?? Tem comentários que realmente não merecem respostas… Tipo:
“oi passei aqui para conhecer teu blog e adorei, visite o meu www.xxyyhh.com .”
Daí você vai fazer a rota dos blogs amigos e encontra exatamente o mesmo comentário, sem tirar nem pôr uma letra nem uma virgula, em todos os blogs que vc passa, e incrível, com uma diferença de 1 minuto de um comentário pro outro.
E você pensa. Como assim adorou o meu blog? Se nem leu o que eu escrevi?
Me lembro uma vez que li um post super emotivo, que falava da perda de uma pessoa querida, queria deixar meu apoio e quando abri a janela dos comentários havia 2 comments nada a ver com o post, um repassando um selinho e outro que falava que tinha adorado o post e estava passando pra desejar um feliz fim de semana. Oi? Tem alguém aí?
Claro, que tem posts, e posts… Se um dia eu posto uma tirinha do Calvin e desejo um bom fim de semana, não dá pra esperar um comentário filosófico. Mas comentar só esperando a visita no teu blog, não dá!

#prontofalei

Tô sendo chata?

A visitante 30.000

A Carol, foi a corajosa visitante 30.012 que deixou um recadinho e topou fazer o post. Achei o máximo ter um texto from Buenos Aires, diversificando ainda mais os VIPs do Astronauta.
Gracias guapa, por participar da brincadeira e pelo carinho. Un beso muy fuerte (y una galleta de cien. rá!)
**

Primeiro de tudo: eu não tenho filhos. É bom começar assim pra que se entenda um monte do que vou falar a seguir (não é muito não, prometo que com 4 ou 5 pagininhas de Word, eu fico bem!).

Eu acompanho o mundo das mamães da Internet já tem bastante tempo e nunca soube o motivo, nem como comecei. Entrei num blog por acaso, que me levou a outro e depois ao próximo. E seguia para novos sempre, quase como um vício. Ao encontrar um novo blog, eu ia até o começo dos arquivos e lia tudo (às vezes 2, 3 anos de postagens), pra entender quem era aquela pessoa que eu estava prestes a “conhecer”. Achava muito bonito ver a história daquelas mulheres fortes, leoas, praticamente guerreiras do mundo moderno lutando por cada detalhe da vida de suas crias. Me parecia lindo mesmo, me fazia chorar, eu me sentia totalmente envolvida com todas que acompanhava.

E, um dia, a Mari, do Pequeno Guia Prático, escreveu um post sobre quando foi a Barcelona e conheceu uma outra mommy blogueira e seu pequeno. Eram a Flávia e o João! Eu achei aquele post mágico, me fez ficar totalmente apaixonada pelo descrição do mundo do Astronauta. Eu e minha curiosidade para assuntos mamãezisticos fomos rumo ao blog novo. A primeira coisa que li foi o relato do parto. Nossa! Acho que é, até hoje (mesmo depois de ter lido um monte), o relato de parto mais lindo que eu já li! Cho-rei copiosamente naquele dia. E desde então não larguei mais o delicioso mundo do Astronauta!

Tudo ia muito bem, as mamães ao redor do mundo postando, eu quietinha no conforto do meu anonimato lendo. Porque tinha esse pequeno detalhe: eu nunca me identifiquei em nenhum desses blogs que eu tanto amo. Passei mais de dois anos lendo sobre a vida de mommys, papys e babys que não sabiam da minha existência! Eu sempre achei que não tinha nada pra acrescentar, então não tinha porque comentar. E fora que tinha vergonha e achava que ia invadir a vida das pessoas com meus comentários inoportunos (?).

Até que a Flávia fez um ano de blog e pediu pros leitores se identificarem. Nesse post, ela dizia que sabia que tinha gente de várias cidades lendo, sendo que a primeira da lista era qual? A minha, Buenos Aires.

“Ferrou”, foi a primeira coisa que veio à minha cabeça, achando que a polícia dos leitores anônimos de blogs ia bater na minha porta. Resolvi que era chegada a hora de aparecer, então me enchi de coragem e falei quem eu era. Aí a Flávia retribuiu a visita e comentou no meu blog de não-mamãezices. Fofa!

Mas o que a Flávia não sabia (e só deve descobrir agora) é que ela foi parte de uma mudança estrondosa na minha vida. Na mesma semana em que ela me fez perder o medo da caixinha de comentários, me dei conta de uma coisa extremamente importante, eu finalmente entendi tudo: eu quero (e sempre quis) ser mãe! Por isso os blogs todos, a emoção com as histórias alheias, o interesse por partos, por crianças, a revolta com as injustiças da vida e a vontade de sair por aí espalhando todo o amor que eu puder! Eu sou parte desse mundo das mommys e foi a Flávia que me deu o empurrãozinho que eu precisava pra assumir isso!

Sendo assim, termino: muito obrigada Flávia!! Por muitas coisas além dos seus lindos textos, tenha certeza!

é hoje!!!!!!

Hoje faz um ano que publiquei meu primeiro post e escolhi a foto dos pezinhos do João, para começar com pé direito (e o esquerdo) minha vida de blogueira.
De um ano pra cá, tanta coisa aconteceu, o João cresceu, eu também, e o blog foi mudando e se moldando às tantas mudanças e influencias, deixou de ser só um diário, para ser uma outra coisa muito mais interativa.
Cada dia que passa vejo que aumenta o numero de pessoas que passam por aqui diariamente, cada dia que passa tem bandeirinhas novas, no gadget que me informa de onde vem os visitantes do Astronauta.
Me sinto conectada com o mundo…
o problema é que não consigo ver as estatísticas como números e só, sempre imagino que detrás do “2 on line” tem uma pessoa do outro lado do “canal” que lê os meus pensamentos, que talvez ri, se emociona, ou pensa que estou errada e que hoje não estou inspirada…
Então… não posso evitar de querer saber.
Quem?
Quem é você que vem aqui frequentemente, e passa em silêncio..
Quem é você, em Buenos Aires, Itapevi (hein, Livia?) Manaus, Jandira, Queretaro de Arteaga, Sidney, Rubi, Curitiba, Feira de Santana, Japão, Coreia, Rio, Sampa, Nevada, Brasilia, Minas, Agudos, Tocantins, West Virginia, Lisboa, Brusque, Campo Grande, New York, Madrid, Barcelona, Paris, Paraná ou Bedfordshire que esta se comunicando comigo?

O canal está aberto e hoje é um excelente dia para deixar um recadinho.

Vou adorar saber um pouco de você…
É fácil, basta clicar nos comentários e dizer um oi.

É isso!

E a todos vocês que passam por aqui, comentando ou não:

Feliz 1 ano do blog.

E obrigada!

Salva pelo gongo

Lá na pastinha de rascunhos, tenho 4 posts inacabados.
Enquanto estou por aí, (na bici, comprando, no carro, colocando o João para dormir, na chuva ou na fazenda…), esses mesmos posts fluem, ficam perfeitos aqui na minha cabecita, tem um começo, meio e fim e principalmente tem sentido. Mas quando abro o word para resgata-los a história se perde, fica sem graça, sem pé nem cabeça… Não sei se é por causa do calor que anda fazendo, ou se é porque estamos em pleno “inferno astral” já que o blog o mês que vem faz um ano…

Não sei, não sei…

O que eu sei é que mais uma vez vou ser salva pelo gongo. Já que o contador indica que estamos perto, muito perto de mais um visitante VIP do Astronauta. Enquanto a inspiração não volta, eu faço um copy/paste das regrinhas da brincadeira, e fico aqui de camarote esperando o próximo post.

“Pra quem não sabe, aqui no blog é assim:
Cada vez que o contador marca números múltiplos de 5.000 é a vez do leitor contar uma historinha.

Então caro amigo, se o contador acima marca 25.000…

PARABÉNS!! Você é uma pessoa de sorte! E o próximo post é por tua conta.

Então, por favor, conta pra gente um pouco de você, copie uma musica, divulgue seu blog, resgate teu post preferido, conte uma piada, deixe uma sugestão, uma receita ou uma poesia… qualquer coisa… mas não vá embora sem deixar teu recadinho!

Manual de instruções:
- Se você é o visitante 25.000 e quer participar da brincadeira é muito fácil, basta deixar um recadinho, de preferência como anônimo, (para aumentar o suspense) dizendo:
Eu sou o sortudo(a) visitante 25.000 o próximo post é por minha conta.
- O seguinte passo é fazer o post, free style, também pode complementar o texto com uma imagem, foto, link ou vídeo.
- Quando tiver pronto, enviar o post ao e-mail do astronauta:

joaoastronauta@gmail.com, que eu publico na sequencia.
- Para saber mais sobre os visitantes especiais do Astronauta, aqui nos VIPs.

*Importante: as vezes a privilegiada que bate em ponto no contador, vê o numero tão redondinho, fica com vergonha e saí de fininho sem se identificar. Então, a “promoção” fica valendo pro 25.001 ou 2 ou 3… ou até chegar no corajoso que não fuja da raia.


O astronauta agradece! “

Sobre deliciosas amizades virtuais

A Paloma, me convidou pra escrever um post para o mãe de primeira.
E aproveitei pra escrever sobre um assunto que vem rondando, já faz tempo, na minha cabeça, “os encontros virtuais”. É um texto sobre ela e sobre vocês:

“Enquanto preparo o café, ligo o computador…

É assim, quase todas as manhãs, começo o dia, com o café de um lado e o computador do outro.

Uma rápida olhada nas manchetes do jornal, recebo e-mails, os comentários do blog e navego pelo meu blogroll.

Uma amiga postou uma musica, e na trilha sonora escolhida por ela, vou linkando um e outro blog.

Nessa minha leitura diária, vou descobrindo afinidades e me sentindo mais próxima de cada uma.

Enquanto uma reclama do frio, a outra vibra com o calor. Descubro um poema da Clarice que eu não conhecia, aprendo com a maneira de educar de uma mamãe que admiro, vibro com a noticia da chegada de um irmãozinho, anoto a dica de um filme ou de um livro, dou risada, choro, me emociono… vivo um pouco o que vocês escrevem, leio, reflito e aprendo.

E se “toda pessoa sempre é as marcas das lições diárias de outras pessoas” sou um pouco de vocês, e apesar de sentir falta do olho no olho, do abraço apertado e de poder contar as aventuras das férias, tomando um café, uma cervejinha ou uma taça de vinho, essa amizade é mais real do que eu podia imaginar…

Um brinde aos encontros virtuais “pero” reais.

E obrigada!”

link do texto no mãe de primeira: Aqui

Momento 5 estrelas

Estamos quase, quase chegando no momento 5 (mil) estrelas do Astronauta.
Pra quem não sabe, aqui no blog é assim:
Cada vez que o contador marca números multiples de 5.000 é a vez do leitor contar uma historinha.

Então caro amigo, se o contador (abaixo no rodapé) marca 20.000…

PARABÉNS!! Você é uma pessoa de sorte! E o próximo post é por tua conta.

Então, por favor, não vá embora sem deixar um recadinho: Conta pra gente um pouco de você, copie uma musica, divulgue seu blog, conte uma piada, deixe uma sugestão, uma receita ou uma poesia… qualquer coisa… O astronauta agradece!

Manual de instruções:
- Se você é o visitante 20.000 e quer participar da brincadeira é muito fácil, basta deixar um recadinho, de preferência como anônimo, (para aumentar o suspense) dizendo:
Eu sou o sortudo(a) visitante 20.000 o próximo post é por minha conta.
- O seguinte passo é fazer o post, free style, também pode complementar o texto com uma imagem, foto, link ou video.
- Quando tiver pronto, enviar o post ao e-mail do astronauta: joaoastronauta@gmail.com, que eu publico na sequencia.
- Para saber mais sobre os visitantes especiais do Astronauta, aqui nos VIPs.

ATUALIZANDO…


Pessoas:

O momento 5 mil estrelas do Astronauta foi um sucesso. (e uma bagunça!).
Um sucesso porque acho que hoje batemos record de visitas diárias… e uma bagunça porque (mea culpa) ao colocar o contador acima, (e burra) deixar o contador abaixo, o contador de cima bloqueou a contagem muitas vezes… Por isso tivemos muitos visitantes 19998, 19999 e 20000 …
Mas como ter 20.000 visitas não é todo dia….

Vamos comemorar dobrado as 20.000 visitas e vamos ter 2 posts de convidados, em breve, (Estou esperando o(s) post(s)… tá queridos anônimos?)

Aproveito para agradecer os 2 novos visitantes VIPs do Astronauta, pela visita, pelo carinho e por deixarem um recadinho e aceitar a brincadeira.



E para todos vocês que nos visita MUITO OBRIGADA!

A força que a gente tem

Esse fim de semana, fiz uma viagem “internética” e seguindo o rastro do “Même”, visitei muitos blogs alem do meu blogroll.

No caminho… li textos incríveis, vi que o tema recorrente ainda é sobre os tais publieditoriais e tive uma agradável surpresa ao ver o vídeo “Nada como mamá, nada como mamar” com minha tradução meio capenga, espalhado por aí, em blogs vips da blogosfera materna.

E fiquei matutando sobre isso… sobre o même que rapidinho invadiu os blogs conhecidos, sobre os publieditoriais no topo das paradas de sucesso e sobre o vídeo que eu postei aqui e rapidinho foi parar ali e ali e ali…

Não é a toa que publicitários querem anunciar nos blogs. Somos um veículo importante de informação (e de publicidade). O Astronauta não é um blog popstar, ele tem lá suas visitas diárias, a maioria (reconheço!) são da família, amigos reais e virtuais e os “turistas” que chegam até aqui para saber como come, dorme e vive um astronauta… Mas também tem uma minoria (de consumidores em potencial?) que chegam aqui através dos sites de busca, querendo saber sobre o sono dos bebês, sobre marca de fralda, sobre o pós-parto, sobre a marca do carrinho, etc, etc, etc…

E mesmo sabendo que a pessoa não vai vir aqui, ler o que eu escrevo, ter um insight e mudar de filosofia de vida, ou comprar essa ou outra marca de carrinho porque EU falei que era boa… Eu gosto de acreditar que pode ser, talvez, quizás… o que eu escrevo pode fazer diferença… que de alguma forma fui útil a aquela pessoa que chegou aqui buscando saber se era normal amamentar um bebê de 11 meses, ou pra outra que queria desmamar para que o bebê dormisse a noite toda.

Talvez eu esteja misturando as coisas… Sei que toda essa discussão a respeito de mídia social, é principalmente sobre os posts pagos (que sou a favor, quando o produto em questão tem a ver com o blog, e o post é feito pela pessoa segundo sua opinião honesta). Mas acho que a questão vai alem do quanto se paga por um post, vai sobre o poder que a gente tem de plantar uma sementinha e de influenciar de alguma maneira a pessoa que nos lê.

E se por um lado escrever para o Astronauta é pura diversão, refletir sobre tudo isso, me faz ter um certo compromisso com o leitor e ser mais responsável na hora de escrever. Espero ter sabedoria para juntar o agradável ao útil, e vice-versa!

***

E aproveitando que estamos falando sobre a força que a gente tem… Vou usar esse espaço publicitário (rá!) para lembrar as mamães blogueiras, que a Semana Mundial de Aleitamento Materno, este ano será de 1 a 7 de agosto. Ainda falta um mês… mas é legal ter tempo pra preparar um texto bacana para o evento.

o mammys blogs explica aqui. E depois volto pra falar mais sobre o assunto.

Beijo e boa semana!

O même

Daí que a Thaís, a principal culpada do blog ficar mudando toda hora de cor, me convidou pra participar desse “même”. Resolvi aceitar o convite e assim parar de mexer no template, antes que por um comando equivocado ele se auto destrua em 5 segundos.
Segundo ela:
“même” é uma brincadeira virtual entre blogs, com algumas regrinhas. Nesse caso, o “même” foi inventado pela criativa autora do Pacha, e a idéia é contar “cinco coisas que não sou, gostaria de ser, mas arrisco”.

Ok. Vamos lá: Não sou, gostaria ser, mas arrisco:

1) jogadora de voley de praia profissional
Adoro jogar voley, e depois que eu descobri a modalidade praia, ainda mais. Bueno… nessa altura do campeonato é um desejo impossível de realizar, mas por sorte isso nao me impede de continuar “arriscando”. Hoje vou a praia bater uma bolinha. Ta afim?
2) Poliglota
Talvez se eu não fosse tão tímida, seria mais fácil. Ou não?
3) Organizada
Sabe aquela pessoa que sabe exatamente aonde guardou o passaporte, que conserva as gavetas todas arrumadas, que nunca perdeu um pé de meia? Eu não sou assim, mas bem que gostaria.
4) Constante
Porque de repente descubro uma coisa que eu gosto de fazer, e já não consigo fazer outra coisa, posso passar o dia todo fazendo, não me importa dormir pouco, comer tarde, devoro até cansar…
Mas depois que canso… “otra cosa mariposa”
5) Web designer
Imagina que luxo, poder entender esses códigos malucos, programar webs, layouts de blogs sem esse medo de que a qualquer momento pode dar uma merda muito grande. Não sou, gostaria ser, e arrisco meeeesmo. Por isso não estranhem se cada dia o blog tiver uma corzinha diferente ou um detalhe novo (repararam nas fotinhas do rodapé?) é que to arriscando…

Então tenho que convidar 5 pessoas pra participar da brincadeira. (tentei sair um pouco do planeta Mãma, porque ví que rapidinho todas serão convidadas… quase consigo). São elas:

Bel – Barcelona está longe
Mari – Maricotinha na janela
Marina – O blog
Moni – Um pouco de mim um pouco de tudo
Maria Tereza – Diário de uma vida húngara

Beijo e bom fim de semana!

Load More