Miscelânea

:
Hoje é quinta, dia da semana que o João tem natação, já faz 3 semanas que ele começou, (no inicio do mês, coincidindo que em março já faz menos frio, hahahaha) e eu ainda não tinha falado sobre isso, mas tenho que deixar registrado aqui no Astronauta. Porque ele simplesmente ama a piscina, que na primeira semana era “pina”, na segunda “pipina” e agora já virou piscina mesmo, dito assim direitinho. Ele vai com a escolinha e quando eu vou busca-lo, ele desce do ônibus, super animado, e no caminho para casa, vem contando as aventuras da natação, faz demonstrações de como ele nada, movendo os braços, entre outras explicações não entendíveis… é lindo!
:
O Sol que anda aparecendo por aqui, e o Barça que ganhou ontem de 4×0, se classificando para quartos de final na Champions league… é a dupla perfeita para amenizar meu inferno astral e alegrar nossos dias… “Si, si, si Anem cap a Madrid!”
:
Sobre o post, “palavrinhas magicas”, a Rô do Projetinho e a Paloma da Ciça, defenderam o “como faaaala?” e derivados, com argumentos que eu achei super válidos. Pode ser que eles se esqueçam de agradecer, ou ficam com vergonha, e recordar, nesses casos, é importante. Como comentou a mãe do Pitoco, “.. às vezes, com sutileza, sem impor nada. É bom mostrarmos que educação é hábito e repetição, mas sem matar a espontaneidade do gesto, é claro! … “.
Então deixo registrado que concordo com elas… (eu) também acredito que o “como fala” dito sem insistência, sem impor e sem castigos não é obrigar.. Afinal, parece até que tal frase faz parte do DNA das mães e algumas vezes falamos sem nem dar conta. E como a maioria, concorda que espontâneo é mais gostoso, continuo tentando não abusar dos recordatórios, porque acho que é uma boa maneira de dar espaço pro pequeno se expressar.
Obrigada, meninas pelos comentários que acrescentam, por concordar ou discordar, mas sempre com respeito e com argumentos que me fazem pensar.
:
E um conto rápido:
Um homem e seu filho caminhavam pela estrada, levando seu burro. Algumas pessoas que vinham em sentido contrário comentaram:
- Que absurdo. Os dois andando a pé nesse calor e o burro belo e folgado ….
O homem achou que os passantes tinham razão e prontamente colocou seu filho no lombo do burro. Mais adiante outros passantes, vendo a cena, comentaram:
- Que triste. Um jovem com saúde no lombo do burro e o senhor, mais velho, tendo que caminhar debaixo desse sol … já não há respeito !
O homem ponderou que o comentário fazia sentido e trocou de lugar com seu filho, passando para o lombo do burro.
Algumas centenas de metros mais adiante, outro grupo escandalizado comentou:
- Isso que é falta de consideração… um adulto belo e folgado sobre o lombo do burro enquanto a criança é obrigada a caminhar sob o sol escaldante. Que tortura para a pobre criança.
O homem, envergonhado, fez subir também a criança no lombo do burro.
Poucos minutos depois um novo grupo de andarilhos, com um olhar de reprovação disse:
- Agora é assim que se tratam os animais. O pobre burro, fatigado pelo calor, obrigado a carregar duas pessoas no seu lombo. Uma crueldade sem limite com o animal.
Moral da história: não importa o que você faça, sempre haverá alguém para criticar.
Portanto, faça o que achar certo, ou logo logo vai estar carregando o burro nas costas.

12 Comments

  1. Ai, Flavia, minha avó vivia me contando essa história…Deu uma nostalgia..
    E o conteúdo, claro, pura sabedoria!
    beijos

  2. Ei Fla!
    Por acaso vcs ganharam do Stuttgart, time aqui da minha regiao, né? hehehehehehehehe
    Ai que delicia para esses meninos fazerem natacao. Preciso arrumar para o Miguel tbm, por que o pediatra dele pediu, mas tava esperando o calor chegar. rs
    Amei a histórinha!
    Beijos

  3. Flá, adorei este conto, veio super a calhar com meus pensamentos de umas semanas atrás, lembra? É isso mesmo. Temos fazer, sempre dentro dos nossos limites, o que acharmos certo… sem dúvida. Adoooreiiii!
    E viva o Barça, meu time de coração depois do Corinthians! Sempre torci pro Barça quando morei por aí!!!!!
    Super beijo!

  4. { * }

    Fábula ótima, acho que do La Fontaine( ou Fontane, ñ lembro bem). O sol aparecendo, tava na hora né? Um beijo!

  5. Lia

    Hahahah! Genial esse conto!
    Falei sobre isso no meu post “Impossível não errar”. http://sacodefarinha.blogspot.com/2010/03/impossivel-nao-errar.html

  6. ótimo conto, já tinha ouvido tb. e tb tenho pensado nisso…

    e o João lindão, hein? deve dar um super orgulho ver o filhote tagarelando e tão animado com uma atividade!

    beijão!

  7. Que legal, guria! Eu também quero que a Ísis faça aulas de natação, mas por enquanto, não dá. Mas já vi em vários blogs que as crianças adoram! E o conto, muito legal!

  8. Seu relato de parto é lindo, dá vontade de chorar!!! Emocionante!!!

  9. O conto é ótimo para as mamães de primeira viagem entenderem como funciona o esquema de palpites/conselhos dos outros sobre o que é melhor fazer com o próprio filho. Muito bom!

    O seu outro blog é sobre amamentação?

  10. Tu és uma fofa mesmo! E João nadando deve ser muuuuuuito fofo. Bom de apertar molhadinho! hihihi

    Bjocaaaas

  11. Fotinhos do astronauta nadador, please!!! Que fofo!
    Nossa, animal esse conto, amei demais!
    beijos

  12. Oi, Flávia.
    Conheci esse conto esse ano, aqui no Brasil. Meu filho trouxe da escola. É lindo, né?
    beijos
    PAtricia

Leave a Comment